"Sabemos que em casos recentes nossas representantes na Câmara também viraram as costas para a população e legislaram em prol de interesses obscuros e muitas vezes até mesmo contra a nossa população", disse Berriel.
"Sabemos que em casos recentes nossas representantes na Câmara também viraram as costas para a população e legislaram em prol de interesses obscuros e muitas vezes até mesmo contra a nossa população", disse Berriel.

Nossas Vereadoras não podem virar as costas para os anseios da população

Fui até a Câmara Municipal para gravar um vídeo com o objetivo de chamar sua atenção sobre a falta de representatividade da mulher em Marília.

Desde a sua primeira turma de vereadores, em 04 de abril de 1929, tivemos ao longo destes 87 anos de atividade legislativa apenas 3 vereadoras. Isso ocorreu apenas nos anos de:

  • 1997 (Cleusa Pontes da Silva);
  • 2001 (Edith Sandes Salgado);
  • 2005 e 2013 (Sônia Naria Ribeiro Tonin).

Como se a baixa representatividade já não fosse um problema, temos também que saber qual perfil de vereadora queremos eleger. Sabemos que em casos recentes nossas representantes na Câmara também viraram as costas para a população e legislaram em prol de interesses obscuros e muitas vezes até mesmo contra a nossa população.

Pra mim o papel fundamental de votarmos em mulheres nestas eleições é pra trazer o olhar feminino, o cuidado que a mulher tem com o próximo, para a Câmara de Vereadores. A mulher deve ser, antes de mais nada, independente política, intelectual e emocionalmente.

Como dizem, a mulher tem que ser a “cabeça e o pescoço” de suas decisões políticas e refutar a manipulação por parte de quem quer que seja.  

Fazer a opção certa na escolha das nossas representantes femininas na Câmara tem implicação direta no futuro de nossa cidade, na saúde da nossa população, na educação dos nossos filhos e na água que cai de nossas torneiras.

Por isso, no dia 2 de outubro, eu peço o seu voto.

Eu sou Alessandra Berriel e o meu número é 23123.

#somostodasvereadoras