A violência contra a população LGBTs (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) no país tem alcançado números alarmantes.

Uma pesquisa recente mostra que são registradas cinco denúncias por dia no país e mais de 215 morrem por ano vítimas da homofobia.

No Brasil, apenas 79 cidades tem alguma legislação municipal contra homofobia, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), e apenas 7,7% dos municípios desenvolvem algum tipo de ações pela população LGBTs.

Vejam o exemplo de Marília, minha cidade onde crio os meus filhos.

MARÍLIA

Marília não possui uma legislação municipal contra homofobia e ações pela população LGBTs apenas ocorrem por meio de campanhas estaduais e federais. Assim, o cenário de violência contra a população LGBTs não é diferente do resto do país: o preconceito e a violência (física e simbólica) contra esse grupo é recorrente.

Nesse sentido, defendemos que ações estaduais que visem contribuir para a conscientização e redução da violência pelo municípios devem ser tomadas. Cobraremos que o Governo realize campanhas contra homofobia e em defesa desses grupos. Assim, a conscientização pública contribuirá para o combate à violência e ao preconceito.

As ações deveram ser institucionais e em parceria com ONGs (Organizações Não Governamentais) que atuam contra a homofobia.